quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Dicas incríveis para decoração com balões em festas e eventos


Os tradicionais balões são opções muito divertidas para decorar qualquer evento e, na hora de pensar em suas aplicações no tema da festa, a criatividade pode ir longe. São várias as ideias que você pode escolher para deixar a festa ainda mais interessante, exclusiva e animada!

Adequando a decoração com balões com o tema da festa
Seja uma comemoração infantil ou para adulto, existem balões para todo o tipo de ornamentação. Confira algumas dicas especiais para aplicar os balões de maneira diferenciada na decoração da festa:

1. Pense no esquema de cores
Balões vêm em uma ampla gama de cores. Você quer criar um arco-íris, um esquema de dois tons ou talvez um efeito ombrè? Você quer simular as bolhas de champanhe? Os tons de um incêndio? Quantas cores você vai precisar para produzir cada efeito que você planejou?

2. Pense no tamanho do local
Quanto maior (ou menos decorado) for o local, mais balões você vai precisar. Se você quiser oferecer um toque agradável ou criar aquele efeito onde os convidados “andam” sobre os balões, tenha consciência que será preciso uma quantidade muito maior.

3. Gás Hélio ou normal?
Você pode decorar totalmente o espaço com balões de hélio, não há problema. É rápido e super fácil. Mas, para abrir o leque de opções disponíveis de decoração com balões, você pode precisar de uma mistura de ambos. Pense em maneiras diferentes para pendurá-los! Existem uma série de formas de você fazer os balões flutuarem.

4. Use os balões com um propósito
Balões são decorativos, claro, mas eles também podem ser úteis. Use-os como um destaque do lugar: preencha-os com gás hélio, coloque gravatas, etiquetas ou enfeites na extremidade e amarre-os com uma corda nas cadeiras, por exemplo. Assim, as pessoas poderão depois levá-los para casa.

Cursos para decorar com balões
Dependendo do que se deseja realizar em uma festa, decorar com balões pode exigir um pouco mais de técnica, aprendida em cursos especializados. Atualmente, existem muitos tipos diferentes de cursos, desde manipular os balões, até aplicá-los em painéis, redes e arcos.

Equipamentos que você precisa para decorar com balões
Para manusear os balões e ajudar você a criar a melhor decoração, você precisa de alguns equipamentos especiais. A SP Brinquedos oferece uma grande variedade de infladores, bombas, caixas para medição, cortador de balões, telas, redes e muitos outros acessórios que podem otimizar o seu trabalho. Confira!

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A importância de uma área infantil em estabelecimentos comerciais

     
 
       Quando se tem filhos, os pais sempre buscam entretê-los de todas as formas sem deixar de se preocupar na segurança e no conforto do lar. Se estes contam com um espaço legal no seu quintal (e também disponibilidade para investir), podem montar uma área infantil de lazer – estilo playground – particular, adaptados às fases de crescimento e desenvolvimento da criança e transformando a residência em um lar acolhedor.

Além dos espaços particulares nas residências, os condomínios fechados e bairros planejados podem facilmente montar uma área infantil de lazer. A disponibilidade destas valorizam os projetos, onde os pais irão se sentir atraídos por adquirir este ou aquele imóvel, sabendo que sua família estará muito mais tranquila sem se preocupar com a segurança das crianças, no momento que saem para se divertir com os amiguinhos no playground.

Em todos os casos citados, vemos como é preciso estarmos adaptados às fases de crescimento e desenvolvimento, unindo o útil ao agradável, criando estes espaços para eles e transformando a residência em um lar acolhedor. Além delas, creches e escolas infantis, é muito interessante montar uma área de lazer exclusivamente infantil em estabelecimentos comerciais, como restaurantes, lanchonetes ou mesmo shoppings centers.

No caso dos shoppings, por exemplo, são sempre procurados por pais para um programa de fim de tarde ou final de semana, principalmente pela enorme oferta de lanchonetes e restaurantes, cinema com farta exibição de filmes e praticidade de estacionamentos.

Mas apesar de todas essas vantagens, os shoppings podem não ser tão atraentes para as crianças e, como nesta, ter uma área infantil em estabelecimentos comerciais, os pais de crianças pequenas não precisam “pensar duas vezes” antes de sair de casa para um programa diferente, pois ali terá um espaço destinado para seus filhos.

Além do entretenimento da criança, montar parques completos ou mesmo uma área infantil, colabora para o desenvolvimento da coordenação motora delas. A SP Brinquedos oferece várias opções em playgrounds espumados e plásticos para a criação de áreas de lazer infantil. São produtos de qualidade aliados aos preços altamente competitivos, entrega eficiente e qualidade no atendimento.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Iniciando um negócio próprio no comércio ambulante




     Você já pensou em ter o seu próprio negócio e buscar a independência financeira? Livrar-se da cobrança de chefes, metas impossíveis de serem alcançadas, de colegas chatos e tudo o que envolve ser empregado de alguma empresa? Já imaginou em ganhar mais do que você vem ganhando tendo um salário fixo? A seguir apresentaremos opções bastante viáveis para que você possa iniciar um negócio próprio no comércio ambulante.

Carrinho de Pipoca
     Muito prático e econômico, apresenta-se como uma opção de baixo custo de investimento e de excelentes taxas de lucratividade ainda ao curto prazo. O carrinho de pipoca tem uma média de gasto diário de R$ 25 e o número de vendas médio pode atingir a até mais de mil reais por dia, mesmo se os saquinhos de pipoca doce ou salgada forem vendidos a R$ 1.

Carrinho de Algodão Doce
    Ideal para ser colocado próximo a parques e festas infantis, o carrinho de algodão-doce apresenta como grande vantagem o baixíssimo custo para se produzir os materiais e a forma muito fácil de ser produzido. Também apresenta altas taxas de lucratividade.

Carrinho de Cachorro Quente
     Embora tenha um custo maior para produzir o alimento, o cachorro-quente é o preferido não apenas por crianças, mas também muito consumido entre os adultos, apresentando assim a facilidade de se encontrar pontos em que o carrinho pode ser colocado para gerar lucros ao seu negócio.
 
Carrinho de Espetinhos
     Não há quem não goste churrasco bem feitinho, não é mesmo? Pensando neste mercado, ter um carrinho de espetinhos é uma opção que pode representar um excelente número de vendas, seja em locais próximos de campos de futebol, grandes eventos, universidades e até mesmo empresas.

Como iniciar um negócio próprio no comércio ambulante?

     Como vimos, um carrinho para comerciante é indispensável e funciona como se fosse a sede de uma empresa, por isso, deve ser muito bem cuidado, estar de acordo com todas as especificações do mercado, com as suas necessidades de produzir o seu produto e, o mais recomendável de tudo, é que seja adquirido através de uma empresa com ampla experiência no ramo.
     Para isso, a SP Brinquedos oferece diversos tipos de carrinho para comércio ambulante, como carrinho de pipoca, de algodão doce, o de cachorro quente e até mesmo espetinho.
     Conheça os nossos carrinhos para comerciantes e comece a conquistar a tão sonhada independência financeira realizando aquilo que você gosta de fazer.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Cachorro quente, uma ótima opção de negócio


      Está pensando em começar um negócio de venda de cachorro quente? Leia a seguir exemplos de sucesso de empresários brasileiros neste segmento que cresce a cada dia no Brasil.


    A combinação pão com salsicha sempre agradou os brasileiros, que encontram facilmente o produto nos carrinhos de rua. Mas um grupo de empreendedores resolveu valorizar o hot-dog e traça planos otimistas de expansão para 2014.
     ´´O momento está muito favorável. O mercado descobriu que o brasileiro ama hot-dog. Estamos há dez anos nesse negócio de hambúrguer e o brasileiro adora comer hot-dog´´, destaca Shemuel Shoel, que abriu com os irmãos Marcelo e Bruno, e o amigo Rodrigo Moura, a empresa Thedog Haüs.
     A primeira unidade foi aberta há um ano e meio no Itaim Bibi. Em março, os irmãos inauguraram uma loja no JK Iguatemi e começam em março deste ano outra no Itaim, com cardápio harmonizando com cervejas especiais. Mas os planos do negócio não param por aí.
     ´´Vamos servir hot-dog de respeito no estádio de futebol. Vamos entrar com uma operação no estádio do Palmeiras. Somos uma lanchonete que virou rede´´, afirma Shemuel. Com a entrada de um fundo de investimento recentemente, a empresa também prepara um plano de expansão por meio de franquias.
    Já o Black Dog começou a vender cachorro-quente na rua em 1993. No início, o carrinho idealizado pelo empresário Leandro Neves era uma forma de garantir um dinheiro para sair com a namorada. Neves só enxergou o potencial do negócio em 1995, quando ficou sabendo que um concorrente no centro de São Paulo vendia mais de mil lanches por dia.
     O empresário então resolveu se dedicar e fez clientela na região da Avenida Paulista. “Eu era o único que tinha cheddar na Paulista”, lembra. O negócio evoluiu para uma lanchonete e a rede chegou a ter 15 lojas em 2009, incluindo franquias.
     Depois do fechamento de algumas unidades e um período de aprendizado, Neves tem planos de retomar o crescimento em 2014 e fechar entre 30 e 40 novos contratos. ´´Temos três hot-dogs gourmet, com salsichas mais saborosas, mas o Black Dog vende ´dogão´, com bastante recheio´´, pontua Neves, que também vai colocar em prática um projeto de minivans em São Paulo.
     No Sul. Os sócios Horácio Coutinho Júnior e Rene Rodrigues já tinham experiência no ramo de gastronomia e estavam em busca de uma operação com produto de qualidade, mas que demandasse um processo mais simples devido a dificuldade de contratação de mão de obra.
    ´´Identificamos um nicho, mas não no trabalho com os ingredientes, mas na questão fundamental do cachorro-quente: a salsicha e o pão. Em geral, as lanchonetes mantêm a salsicha comercial e o pão de leite e investem nos ingredientes. Nós decidimos focar na salsicha artesanal e no pão francês´´, conta Horácio, que criou a empresa Senhor Garibaldi, em Curitiba, já formatada para crescer com a venda de franquias.
    O negócio tem um restaurante, atende por meio de delivery e também participa de eventos. Em março, o Senhor Garibaldi vai lançar carrinhos com estilo retrô para vender hot-dog em shows e feiras. É uma forma de ampliar as estações de montagens, sem precisar de um veículo motorizado.
  Atualmente, os sócios estão em busca de parceiros regionais para a expansão do empreendimento. ´´Hot-dog sempre foi um mercado com consumo. O que buscamos são nichos diferentes dentro desse mercado´´, analisa o empreendedor.

Fonte: Estadão PME 

quarta-feira, 8 de maio de 2013

quarta-feira, 20 de março de 2013

Crianças que praticam exercícios são menos estressadas, diz pesquisa - SP Brinquedos


Toda criança precisa se mexer. Seja brincando, fazendo aula de educação física ou praticando algum esporte. Você já deve ter ouvido isso um montão de vezes, mas aí vai mais um motivo para colocar as crianças em atividade: fazer exercício na infância também ajuda a lidar com o estresse. 
Uma relação que já estava comprovada em adultos agora também foi testada em crianças. Um estudo da Universidade de Helsinki, na Finlândia, analisou 258 meninos e meninas de 8 anos para descobrir se havia alguma relação entre atividade física e cortisol, conhecido como o hormônio do estresse. Os pesquisadores colocaram um medidor de atividade no pulso das crianças e pediram aos pais que coletassem uma amostra de saliva dos filhos durante o dia, a partir da qual mediriam o nível de cortisol. Essa amostra foi comparada a uma segunda, colhida após um teste de indução ao estresse, composto por um desafio aritmético e um de falar em público. 

Para analisar os dados, os pesquisadores separaram as crianças em três grupos, de acordo com a quantidade de atividade física realizada. As crianças dos grupos que haviam praticado menos atividade física tiveram um aumento significativo nos níveis de cortisol após o teste. Já aquelas que pertenciam ao grupo que havia feito mais exercício apresentaram pequeno ou nenhum aumento nos níveis do hormônio. Os responsáveis pelo estudo afirmaram que essa descoberta pode ajudar a entender a importância da atividade física para o bem estar físico e mental da criança.
Segundo a endocrinologista Rosângela Réa, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), a pesquisa comprova que quem faz exercício responde melhor ao estresse, o que influencia diretamente no jeito com que a criança levará sua vida. Isso é, crianças que se movimentam podem ser mais tranquilas e reagir melhor quando estão diante de um desafio. Em adultos, o cortisol também já foi relacionado à depressão e a um maior acúmulo de gordura corporal. 

“Esse tipo de relação [entre exercício e cortisol] já foi mostrada em adultos, mas nesse caso o foco são as crianças. E a pesquisa mostra que tanto os exercícios rigorosos como não rigorosos têm esse efeito. É mais um motivo para os pais estimularem a prática de exercícios”, explica Rosângela.
Segundo Nara Rejane de Oliveira, professora do Departamento de Ciências do Movimento Humano da Unifesp, o estilo de vida das crianças, especialmente nas grandes metrópoles, contribui para o sedentarismo. Isso porque elas costumam passar muito tempo dentro de casa e as brincadeiras na rua, que antes eram sinônimo de movimentação intensa, já não fazem mais parte de seu cotidiano. Nara concorda que é preciso estimular o exercício físico na infância, mas dá um alerta: “É preciso ter bom senso quanto à quantidade e qualidade de exercício. É imprescindível que não haja sobrecarga de tarefas e que a criança possa participar de uma atividade que ela realmente goste e não aquela que os adultos desejam”.

A sobrecarga de tarefas, segundo Nara, não é apenas em relação a atividades físicas. “O estresse pode ser desencadeado pelo excesso de atividades que muitas crianças realizam. É comum que famílias, ávidas por oferecerem aos filhos oportunidades de aprendizagens diversas, acabem estressando as crianças com o excesso de atividades extracurriculares.” 

Outra dica importante é ter jogo de cintura. Às vezes, a criança rejeita a atividade física porque passa a associá-la a mais uma aula, a mais uma obrigação que precisa cumprir. Se seu filho fizer muito drama para se mexer, tente transformar o exercício em passeio – ou a boa e velha brincadeira! Por exemplo, tire a bicicleta da garagem e vá pedalar em família. Assim, ele vai deixar de enxergar a bicicleta como exercício e vai associá-la ao lazer e a um momento prazeroso.
Fonte: www.revistacrescer.globo.com

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Bonecos Max Steel - SP Brinquedos

Deixe o natal do seu filho mais divertido!! Conheça nossa linha de bonecos Max Steel, uma grande variedade para sua escolha. Acesse o link da nossa loja virtual: http://migre.me/cr86C